História

NOÇÕES DA HISTÓRIA E FILOSOFIA DO JUDÔ

Continuação...

Com o treinamento, adquire autoconfiança e autocontrole, não para fugir do perigo, mas para adotar medidas e iniciativas em qualquer situação. Em outras palavras, o Judô é uma arte para a autoproteção total. Por último, a atitude moral autêntica é concebida através do rigor do treinamento, que induz à humildade social, à perseverança, à tolerância, à cooperação, à generosidade, ao respeito, à coragem, à compostura e à cortesia. As experiências obtidas durante o treinamento, por tentativa e erro e pela aplicação das regras de luta, impõem mudanças de atitudes, elevando o poder mental da imaginação, redobrando a atenção e a observação e firmando a determinação. Quando falhas do conhecimento social e de moralidade constituem-se problemas, um método de ensinar a cortesia entre as pessoas e melhorar a atitude social torna-se importante e, por isso, o Judô desempenha papel relevante nesse contexto, como instrumento de formar e lapidar os verdadeiros caracteres morais do ser humano.

Bibliografia:

SHINOHARA, MASSAO. Manual Prático de Judô Vila Sônia. São Paulo, 1982

FEDERAÇÃO PAULISTA DE JUDÔ. Caderno Técnico de História e Filosofia do Judô. São Paulo, 1999

 Voltar